EDITORIA: CIDADES


Atualizado em 2017-05-08 14:52:48

Festa de Maio 2017

A tradicional festa iniciou no dia 1º de maio com a descida da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida



Uma celebração que se estende sobre todo o mês de maio é realizada em Santa Rita de Jacutinga. A tradicional Festa de Maio vem revelar todo amor e devoção que os fiéis santarritenses detém com Nossa Senhora da Conceição Aparecida e por Santa Rita de Cássia. Há 105 anos, o saudoso monsenhor Marciano Bernardes da Fonseca, mais conhecido como Padrinho Vigário, teve a inspiração de fazer no alto do monte que avistava da Igreja Matriz uma capela para Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Para o Padrinho Vigário, o local representava o Monte Calvário, e desde 1912 ocorre a procissão da descida da imagem, dando início a tradicional Festa de Maio.

Muitos são os devotos que peregrinam de diversos locais para presenciar essa grande e especial celebração. Muitos romeiros veem de municípios vizinhos a Santa Rita de Jacutinga, dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
No primeiro dia, 1º de maio, ocorre a missa na Capela do Alto, onde os devotos demonstram sua fé e devoção percorrendo a subida íngreme até a capela, em uma distância aproximadamente de um quilômetro.  Lá do alto ocorreu a primeira missa da Festa de Maio, onde os padres Welington Nascimento de Souza, vigário paroquial da Catedral de Juiz de Fora, Pe. Luciano Atanásio, filho de Santa Rita de Jacutinga, e padre Márcio Aurélio Neves, pároco do município, celebraram a Santa Missa. Em homilia, padre Welington revelou sobre Maria, os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida no rio Paraíba do Sul, a intercessão de Nossa Senhora com o povo de Deus. No momento, padre Welington destacou que Maria “não teve medo e deu seu sim a Deus”, e comparou que muitas vezes temos dúvidas e negamos Deus em nossa vida. 

A celebração também fez honra a São José Operário, padroeiro dos trabalhadores, onde padre Welington observou “José e Maria, vida pautada pela justiça justa”, colocando que devemos olhar ao exemplo de São José e Nossa Senhora e viver e vivenciar essa justiça justa. Ainda em homilia, padre Welington destacou sobre Santa Rita de Cássia, que rezou muito pedindo a intercessão de Maria, e observou aos fieis que é preciso renunciar a fofoca e a injustiça. 

Após a celebração, os fiéis seguiram em procissão com a descida da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. E na Praça Governador Valadares, mais conhecida como Praça da Estação, ocorreu o encontro das imagens de Nossa Senhora Aparecida e Santa Rita de Cássia. No momento, os sacerdotes se encontraram com o vigário-geral da Arquidiocese e pároco da Catedral de Juiz de Fora, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, e padre Roberto, de Nova Iguaçu. O momento foi a expressão do amor e devoção de cada fiel, que agradeceu a Deus sobre todas as bênçãos recebidas. Louvores e cânticos foram realizados, onde cada presente pode experimentar um momento de bênçãos. 

Ainda em clima de oração, os fiéis saíram em procissão e seguiram junto com as santas imagens para a Matriz. O grande número de fiéis era admirável, diversas pessoas reunidas em um mesmo objetivo agradecer e pedir bênçãos a Deus e a intercessão de Nossa Senhora e Santa Rita de Cássia.

Muitos dos fiéis, como forma de agradecimento as graças alcançadas expressavam através do olhar sua emoção. Era possível notar e sentir o bem que aquele momento destinou a cada presente. Muitas crianças, vestidas de anjo, estavam presentes como forma de agradecimento de suas famílias às graças alcançadas.

Já na Igreja Matriz foi realizada a missa dos visitantes, onde na homilia, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, iniciou com a reflexão do ‘por quê’ de estar naquele lugar. Cada um sabia o motivo que o levava aquela celebração. Em sua mensagem, Monsenhor Luiz Carlos expressou o amor de Maria por todos, desde os primeiros discípulos e discípulas.  “Cada nação, cada país, Maria vem de uma forma especial”, destacou o Monsenhor, que revelou que o povo brasileiro sempre foi devoto a Virgem Maria, Mãe de Jesus. 

Outro ponto que Monsenhor Luiz Carlos frisou foi sobre a importância do agradecimento a Deus. “Como temos que agradecer, muitos testemunhos foram realizados antes, e nós, e os que vêm depois, possam testemunhar”, expressou.

Palavras de fé e esperança foram ditas no momento da celebração, que foi encerrada com os devotos agradecendo a Deus sua misericórdia e proteção. 

À noite houve nova celebração eucarística, onde no final foi realizada a coroação de Nossa Senhora. Neste ano, a tradicional Festa de Maio tem como tema: “Ano Mariano: Tempo de acolher, escutar, ensinar e valorizar... Tempo de Missão!”.

A tradicional Festa de Maio em Santa Rita de Jacutinga segue até o dia 5 de junho, com a subida da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida ao Monte Calvário. Em honra a Santa Rita de Cássia, são celebradas missas, procissões e novena, e em seu dia, 22 de maio, ocorre uma festiva celebração a padroeira do município.



Fonte: Jornal Panorama

  Confira mais fotos desta notícia!





Dê sua opinião sobre o assunto:

Compartilhe essa notícia: