Últimas
Jornal Panorama

Não se preserva a memória de um povo sem o registro de sua história!


BEM VINDO! Hoje é - 00:00:00

 AO VIVO | Nossas transmissões ao vivo aparecerão aqui, em breve!

Internacional



Sauditas mostram detritos de mísseis como prova de que iranianos estão envolvidos em ataque contra petroleira

Investigação saudita aponta que um total de 25 drones e mísseis foram lançados contra duas instalações de petroleira Aramco.



G1
2019-09-18 16:53:34

Ouça essa notícia:

O Ministério de Defesa da Arábia Saudita apresentou nesta quarta (18), na capital Riad, detritos de mísseis e drones que, de acordo com com o reino, provam que o Irã foi responsável pelo ataque contra instalações da gigante petroleira Aramco no sábado (14). Os disparos não podem ter sido feitos a partir do Iêmen.

\"O ataque foi lançado do norte e inquestionavelmente patrocinado pelo Irã. A evidência que vocês veem à sua frente torna isso inegável\", disse o porta-voz do Ministério da Defesa, coronel Turki al-Malki, em entrevista coletiva, em Riad.

O coronel Turki al-Malki afirmou que um total de 25 drones e mísseis foram lançados contra duas instalações, incluindo o que ele identificou como veículos aéreos não tripulados (UAV, na sigla em inglês) iranianos e mísseis de cruzeiro \"Ya Ali\". Segundo ele, esses mísseis têm sido usados pela Guarda Revolucionária do Irã.

No sábado, os ataques atingiram Abqaiq, onde fica a maior fábrica de processamento de petróleo do mundo, o campo de petróleo de Khurais. De acordo com o estudo saudita, os drones e mísseis foram lançados contra Abqaiq enquanto os mísseis de cruzeiro tinham como alvo Khurais.

Um grupo reivindicou a autoria: rebeldes houthis, do Iêmen, que são apoiados pelo Irã. Eles disseram ter mobilizado 10 drones para fazer o ataque.

Os sauditas ainda estudam para saber de qual localidade exatamente os mísseis foram disparados. Porém, de acordo com Turki al Malki, os disparos não podem ter sido feito a partir do Iêmen. Ele explicou que várias informações estão sendo analisadas, mas por enquanto por questões de segurança estão sendo mantidas em sigilo.

Pompeo: ataque foi \'ato de guerra\'
O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, chamou o ataque ocorrido no sábado de \"um ato de guerra\" e insistiu em atribuir ao Irã a participação na ofensiva.

\"Foi um ataque iraniano\", disse Pompeo à imprensa, segundo a agência France Presse.
O norte-americano também afirmou que o ataque tinha as \"impressões digitais\" do aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã.

Irã nega acusações
O Irã já negou ter envolvimento nos disparos de mísseis contra a Aramco e já acusou os Estados Unidos de buscarem um pretexto para atacar o país.

Nesta quarta-feira (18), a agência oficial Irna tornou pública uma mensagem do governo do Irã dirigida aos americanos em que insistiam que o país não desempenhou nenhum papel no ataque, além de negar e condenar as acusações.

Ainda assim, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou, também nesta quarta-feira (18), que determinou que eles vão aumentar substancialmente as sanções impostas contra o Irã.

Os sauditas agradeceram aos Estados Unidos por confrontar o Irã \"de maneira sem precedentes\" e por defender seus aliados regionais no Oriente Médio de um ataque gratuito, segundo Riad.

Foto 1: Supostos restos dos mísseis que foram usados para atacar a instalação de petróleo da Aramco, exibidas pelo governo saudita em coletiva nesta quarta (18). — Foto: Hamad I Mohammed/Reuters



Participe! Comente!


PATROCINADO



JORNAL PANORAMA



© JORNAL PANORAMA - 1975/2019 - Todos os direitos reservados